TRAVESSIA

CROSSING

Performance [4 hours]. Art Residency Fabrique à Reves/Le 6B, Paris, France, 2012.

Photograph by CEB.

1. Paris (FR): A performance começa com a criação de um trajeto, um caminho em linha reta, pelo qual irei andar sem parar e por tempo indeterminado. Em um extremo: uma mesa com duas garrafas de vinho, uma taça e o livro A Poética do Espaço de Gaston Bachelard (*edição em Francês). 

Inicio a travessia, bebendo e caminhando de um lado para o outro. e bebendo, e caminhando, e lendo o livro em voz alta. E bebendo, caminhando, lendo o livro em voz alta, e ainda tentando descrever as minha impressões e sensações. Aos poucos, essa somatória vai se intensificando e faz tudo mudar, oscilar. Após duas horas de processo: bebendo, caminhando, lendo em francês, falando em português - o efeito do álcool se torna cada vez mais visível, cria inúmeras alterações nos sentidos - corpo, fala e emoções. Os passos ora estão lentos, ora outra cambaleantes ou apressados, uma voz arrastada e com imensa dificuldade na leitura, uma respiração ofegante e cansaço, alguns esquecimentos, um choro abafado, risos tremidos e a ameaça de quedas. As pessoas se aproximam - e como nunca paro a caminhada, começam a realizar a travessia comigo. De repente forma-se uma fila, há uma espécie de revezamento: o caminho é estreito, e ao meu lado só há espaço para uma pessoa de cada vez. A ação termina quando alguém me diz o quanto caminhei em quilômetros, retira a taça e o livro das minhas mãos, e lê um capítulo para mim. 


 



2. Santiago (CH): A performance começa com a criação de um trajeto, um caminho em formato triangular pelo qual irei andar sem parar e por tempo indeterminado. Em cada extremo: uma mesa com uma garrafa de vinho. Comigo: uma taça e o livro Afrodita – Cuentos, Recetas y otros Afrodisíacos de Isabel Allende (*edição em Espanhol). 

Inicio a travessia, bebendo e caminhando de um lado para o outro. E bebendo, e caminhando, e lendo o livro em voz alta. E bebendo, caminhando, lendo o livro em voz alta, e ainda tentando descrever as minha impressões e sensações. Aos poucos, essa somatória vai se intensificando e faz tudo mudar, oscilar. Após a primeira hora de processo: bebendo, caminhando, lendo em espanhol, falando em português - o efeito do álcool se torna cada vez mais visível, cria inúmeras alterações nos sentidos - corpo, fala e emoções. As pessoas se aproximam, e como nunca paro de caminhar, elas começam a realizar a travessia comigo. São muitas, e de repente formamos uma espécie de procissão contínua. A performance termina com uma interrupção por parte da organização do evento.

  • Vimeo
  • Facebook
  • Instagram

© 2020 Rubiane Maia